As características de um assessor político tornam esse profissional uma espécie de braço direito do parlamentar. Afinal, não se pode conceber que um candidato eleito, ao assumir suas funções, possa dar conta do relacionamento com o eleitor e, ainda, de organizar as rotinas administrativas de um gabinete.

Por essa razão, foi criado o cargo de assessor político, cujas atribuições são determinadas pelo regimento interno da Câmara dos Deputados. Ele é o profissional destinado a apoiar o parlamentar nas tarefas que fogem do escopo de um político, sendo responsável por diversas funções.

Se interessou pelo assunto? Então, para saber o que faz esse profissional, acompanhe o nosso artigo e saiba mais sobre esse cargo estratégico!

As atribuições previstas pela Câmara dos Deputados

O Anexo do Ato da Mesa nº 72/1997 define em seu texto as funções de um assessor político. No geral, é ele quem coordena todas as rotinas administrativas do gabinete. Controle da folha de pagamento, contratações de funcionários e organizações de reuniões são algumas das atribuições previstas na lei interna.

Cabe a esse profissional elaborar minutas para possível encaminhamento para votação em plenário. Projetos de Lei, recursos, requerimentos, emendas e muitos outros procedimentos inerentes ao exercício parlamentar passam primeiro pelas mãos do assessor.

Também é de sua competência redigir textos para as mais variadas finalidades, sejam ofícios ou correspondências para eleitores. Cabe ao assessor aprovar o texto final em todos os comunicados e materiais escritos, salvo quando o parlamentar tomar para si essa responsabilidade.

O assessor também é o elo entre o político e a população. As demandas dos eleitores sempre passam por ele, que deve cuidar de responder cada solicitação. Para isso, deve-se observar o tom adequado e procurar sempre a solução dentro do espírito do servidor público. Nas respostas, ele terá a prerrogativa de usar correspondência escrita, via e-mail ou SMS, se assim for exigido.

Além de todas essas funções, o assessor deve estar pronto para dar suporte ao político sempre que assim julgar necessário ou for solicitado. Portanto, espera-se que seja um profissional com elevada capacidade de resolução de problemas.

As principais características de um assessor político

Considerando a multiplicidade de tarefas sob sua responsabilidade, é desejável que um assessor político reúna uma série de competências. A seguir, mostraremos algumas das principais habilidades que ele deve ter!

Boa comunicação

A capacidade de se comunicar de forma assertiva é uma das principais características de um bom assessor, incluindo a expressão escrita. Portanto, escrever bem é um dos requisitos mais importantes para esse profissional.

Afinal, ele precisa representar o político diante da imprensa e do próprio eleitor ao fazer comunicados, redigir cartas de respostas, entre outros. Como se sabe, as pessoas podem ter visões políticas diferentes e, se o assessor não tiver também boa oratória, pode passar pouca confiança para o público com o qual terá contato.

Vale ressaltar, ainda, que o bom comunicador consegue enriquecer a sua fala, o que facilita a compreensão das pessoas que o escutam. Assim, o assessor consegue destacar as informações mais relevantes, contribuindo para que o assunto seja lembrado por mais tempo. Consequentemente, na hora de representar o político, ele construirá uma imagem forte dele.

Conhecimento da legislação

Também é importante conhecer o regimento interno da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Não se pode deixar de conhecer, ainda, o regimento comum do Congresso Nacional.

Estar a par da PPA (Plano Plurianual), da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) e do orçamento público federal é imprescindível. Tudo isso será importante para orientar o político quanto às regras que ele deverá seguir, por exemplo, durante a campanha eleitoral, impedindo assim que ele incorra a erros ou, por qualquer motivo, tenha problemas com a Justiça Eleitoral.

Da mesma forma, ter conhecimentos de informática e da composição e estruturação dos três poderes são requisitos também previstos em lei. Afinal, o profissional tem uma série de atribuições que estão ligadas ao uso de tecnologia.

Pensamento crítico

Outra habilidade imprescindível para o assessor político é o pensamento crítico. Isso quer dizer que é necessário saber julgar as questões sempre de maneira reflexiva, levar em consideração diversas variáveis e deixar de lado crenças pessoais — ou seja, é preciso ser racional, razoável e colaborativo no processo de tomada de decisões.

No campo político, essa característica é especialmente importante, pois é um ramo que lida com opiniões divergentes, principalmente de eleitores e opositores. Consequentemente, o profissional que auxilia o político precisa ajudá-lo a ter habilidade para o diálogo e analisar situações aos quais ele é exposto de maneira imparcial, provendo, assim, as melhores soluções.

Adaptabilidade

A adaptabilidade pode ser caracterizada como a habilidade que uma pessoa tem de se ajustar ao ambiente de acordo com as situações e necessidades. Ou seja, é a aptidão para viver mesmo em condições diferentes daquelas às quais se está acostumado.

O assessor político precisa desenvolver e fortalecer essa competência, visto que ele precisa lidar com as mudanças constantes no ambiente político. Por exemplo: o país vive em uma época de instabilidade política e falta de credibilidade nos representantes oficiais. Sendo assim, o assessor precisa estar preparado para aproveitar as oportunidades certas de inserção do candidato e torná-lo uma figura forte mesmo diante de mudanças drásticas.

Planejamento e organização

A eficácia do trabalho de um profissional assessor está embasada também na sua capacidade de planejamento e organização. O cotidiano político é repleto de compromissos para o eleito, logo, fica a cargo do assessor organizar essa agenda e planejar a participação nos eventos estratégicos.

Esse profissional também é responsável por fazer toda a organização de reuniões e encontros políticos, convocando as lideranças certas e tornando essas ocasiões mais produtivas. Além disso, ele será encarregado de planejar o que deve ser discutido nesses encontros, estabelecer o tempo de participação e escrever as atas.

Com isso, a dinâmica do dia a dia político se torna mais fluida, o que é uma vantagem tanto para o eleito quanto para o próprio profissional que o assessora, otimizando o trabalho desenvolvido.

As estratégias para se destacar na função

Saber como funciona o marketing político é estar um passo à frente para se destacar como assessor. Nesse segmento, conhecer a dinâmica do meio digital é ainda mais importante, uma vez que é pela internet que o parlamentar tem a chance de se comunicar e transmitir suas ideias de modo direto e full time.

A capacidade de articulação de projetos, interesses e demandas populares é outro conjunto de características fundamentais para ter destaque nessa função. Portanto, cabe ao assessor político ser uma voz ativa no exercício de um mandato parlamentar. Com bons profissionais ocupando esse importante cargo, ganham os políticos, e, sobretudo, os eleitores.

Desse modo, conclui-se que o assessor político é peça-chave no processo de reeleição, pois, como vimos, as suas funções compreendem uma série de ações que ajudam a fortalecer a imagem do político diante da população.

Como saber mais sobre essa questão é algo fundamental, que tal continuar se informando? Leia, a seguir, nosso post com dicas para uma campanha de reeleição!


Marketing digital para políticos

Deixe seu comentário
Comentários desabilitados.