Comunicação eleitoral e marketing político

Quando falamos de campanha política, é bastante comum falarmos de toda a publicidade voltada à candidatura, já que essa é a principal estratégia utilizada para ganhar visibilidade e fortalecer a imagem de um candidato. Mas será que você sabe a diferença entre comunicação eleitoral e marketing político?

O conceito dos dois termos é muito presente nas conversas pré-campanha e, muitas vezes, confundido como uma coisa só. Para entender as semelhanças e, principalmente, as diferenças entre comunicação eleitoral e marketing político, é importante compreender o que é cada um deles.

Neste post, explicamos em detalhes o que é marketing político, o que é comunicação eleitoral e as principais diferenças entre eles. Ficou interessado? Então, confira a seguir!

Entenda o que é comunicação eleitoral

Quando falamos de comunicação eleitoral, estamos falando das estratégias de marketing realizadas e desenvolvidas com intuito de preparar o candidato para a disputa eleitoral e aumentar suas chances de vitória.

Quando falamos de marketing eleitoral — ou comunicação eleitoral —, estamos nos referindo às estratégias desenvolvidas no período que antecede uma disputa política específica, ou seja, esse é o trabalho realizado antes e durante a campanha para determinada eleição.

Isso significa que as estratégias de comunicação eleitoral são voltadas à construção de visibilidade da pessoa e de suas propostas, sendo que sua meta é a eleição do candidato, sendo geralmente mais curtas e com foco mais assertivo.

Exemplificamos algumas das ações e aplicações da comunicação eleitoral para você compreender melhor:

Como é possível perceber, quando falamos do marketing eleitoral, estamos falando de todas as estratégias desenvolvidas com objetivo claro e prazo mais curto. Desse modo, podemos dizer que são técnicas e estratégias que visam tornar aceito e conhecido um determinado candidato e suas propostas durante a campanha.

Apesar de distinto do marketing político, que trataremos a seguir, o marketing eleitoral funciona de forma complementar a este, sendo que as melhores estratégias políticas envolvem o uso de ambos para seu sucesso.

Entenda o que é marketing político

Enquanto o marketing eleitoral consiste nas estratégias realizadas no período que antecede um pleito e tem por foco fortalecer a candidatura de um indivíduo, o marketing político pode ser resumido como o conjunto de ações de divulgação dos trabalhos de um estadista em exercício do mandato.

Esse tipo de estratégia, que também é conhecida como marketing de governança, é composta por técnicas e processos que visam tornar conhecidas as atividades de um determinado político, seja para aumentar sua aceitação pública, seja para prepará-lo para futuras eleições.

Ao contrário do marketing eleitoral, esse é um trabalho de longo prazo, que é realizado por todo o mandato político. Seu grande fundamento está em trabalhar a imagem pública da pessoa eleita, visando tornar conhecidas e valorizadas suas ações junto a seu eleitorado.

Além disso, essa estratégia funciona como um canal de comunicação entre o eleitorado e o político, visando demonstrar que ele está ativo, desempenhando suas funções, propondo projetos e protegendo os interesses das pessoas que o elegeram.

As seguintes ações são exemplos do que é feito dentro do marketing político, de acordo com as estratégias mais utilizadas e de maior eficiência:

  • estudo do eleitorado e do público do político, com definição de personas e de compreensão dos interesses e alinhamento de expectativas;
  • desenvolvimento de estratégias de relacionamento por meio de ferramentas como o e-mail marketing, pelo qual serão oferecidos conteúdos relevantes, que destacam a atuação do político, projetos, propostas e ações;
  • criação de uma estratégia de conteúdo, por meio de blog, onde será oferecido conteúdo de qualidade e que dialogue com o eleitorado e responda seus questionamentos ou solucione problemas encontrados por ele;
  • criação e desenvolvimento de ferramentas de comunicação entre o eleitor e o político, para que ele possa entender as demandas de sua base eleitoral e se comunicar com ela um jeito mais assertivo e inteligente.

Veja as diferenças e semelhanças entre comunicação eleitoral e marketing político

Como é possível perceber, o marketing político e a comunicação eleitoral tem diversas semelhanças, especialmente nas ferramentas utilizadas e no posicionamento do estadista junto ao eleitor.

No entanto, também existem algumas diferenças importantes, como a época de desenvolvimento do trabalho, o planejamento e execução das ações e até o tipo de material, comunicação e linguagem que serão utilizados.

Para compreender melhor essas semelhanças e diferenças, explicamos algumas delas logo abaixo para que você não fique com dúvidas. Confira!

Principais semelhanças

É possível listar algumas semelhanças entre os dois tipos de marketing, sendo que tanto o marketing político quanto o marketing eleitoral tem objetivos próximos. Além disso:

  • exigem planejamento prévio, análise de dados, estudo do público-alvo e do eleitorado, visando obtenção de resultados consistentes e positivos;
  • a implementação, análise e desenvolvimento de estratégias digitais têm grande impacto em ambos, sendo que o estudo dos dados obtidos por meio das campanhas de marketing permitem adequar e potencializar os resultados;
  • trabalham a imagem pública do político, visando fortalecer sua presença junto ao eleitorado e torná-lo mais próximo do público;
  • uso de diversos meios de comunicação para dialogar com o público, seja nas mídias tradicionais (televisão, rádio e jornal) ou nas digitais (redes sociais, e-mail e vídeo online).

Principais diferenças

Apesar das semelhanças apontadas acima, entender as diferenças entre a comunicação eleitoral e marketing político é fundamental para usá-los de forma correta. São exemplos:

  • a linguagem de cada uma das estratégias de marketing tende a variar bastante, já que uma fala com o público visando consolidar a imagem do político para sua eleição, enquanto a outra busca reforçar seu papel como representante do eleitor;
  • as ações de marketing também possuem abordagens distintas, tendo em vista que o candidato tem restrições e exigências diferentes do político eleito — inclusive em questões legais daquilo que pode ou não ser feito;
  • o tempo de execução de cada uma das estratégias também tende a ser diferente, já que a comunicação eleitoral é mais curta, acompanhando a campanha, enquanto o marketing político é mais longo, compreendendo a duração do mandato.

Com essas informações, deu para entender melhor as principais diferenças entre comunicação eleitoral e marketing político, não deu? Agora, quando alguém perguntar, você saberá as respostas e, além, entenderá quando está usando um ou outro dentro da sua vida política.

O que você achou deste post sobre comunicação eleitoral e marketing político? Se gostou do conteúdo, compartilhe em suas redes sociais e deixe que seus amigos também saibam sobre esses conceitos!


ebook campanha eleitoral banner lateral

Deixe seu comentário
Comentários desabilitados.