comunicação política

Quando tratamos de comunicação política, também conhecida por marketing político, é bastante comum associarmos tal estratégia às ferramentas modernas de comunicação, como a Internet, o rádio e a televisão.

No entanto, a história desse tipo de estratégia comunicacional e de marketing é mais antiga, remontando às viagens dos políticos pelas cidades de sua região, aos comícios realizados em pequenos vilarejos e às negociações de apoio com fazendeiros, militares e proprietários de empresas.

Para compreender melhor o desenvolvimento do marketing político e também entender as estratégias de comunicação política, é interessante conhecer sua história. Confira alguns dos pontos importantes!

Momentos da comunicação política no Brasil

Em geral, entendemos o conceito de comunicação política como a estratégia argumentativa de convencimento, que visa a levar o eleitor a votar em determinado candidato ou partido, utilizando técnicas de persuasão para esse objetivo.

No entanto, a comunicação voltada ao universo político é preenchida por momentos de inovação, invenção e reinvenção de estratégias de marketing e muita análise de resultados, fundamental para esse tipo de atuação.

É interessante perceber que, desde os povos da idade média, passando pelo renascimento e chegando aos dias atuais, os políticos têm buscado os meios de comunicação de massa para obter sucesso em suas estratégias políticas. Entenda alguns desses momentos.

Arautos, comícios e viagens pelos vilarejos

O uso de estratégias para se comunicar com o povo remonta a séculos atrás, quando os políticos tinham arautos, profissionais responsáveis pela realização dos anúncios públicos em nome do rei, senhor feudal ou imperador, visando a criar empatia com seus súditos.

No Brasil, é possível destacar que Prudente de Morais, eleito presidente do país entre os anos de 1894 a 1898, é considerado um dos primeiros comunicadores políticos “profissionais”, já que se utilizou de estratégias similares às modernas, como comícios, passeatas e “corpo-a-corpo” junto aos eleitores e pessoas importantes, que poderiam dar votos ou financiar sua campanha.

Outro político de enorme popularidade e apelo junto ao povo foi Getúlio Vargas, que contava com seu próprio assessor de marketing, especializado no desenvolvimento de suas campanhas eleitorais e com foco na comunicação política como fortalecimento de governo.

Crescimento do marketing político e JK

Durante o governo de Juscelino Kubitschek, de 1956 a 1961, a comunicação e o marketing políticos se tornaram ainda mais importantes, já que passou a ser, cada vez mais, necessário que o político fosse “conhecido” para viabilizar sua eleição.

Por meio de projetos de apelo popular, como a construção da nova capital, Brasília, Juscelino desenvolveu uma relação bastante próxima ao povo, o que fez com ele se tornasse um dos políticos mais queridos do país.

Modernização da comunicação política na atualidade

Atualmente, a comunicação e o marketing políticos exigem que os candidatos estejam atentos aos meios de comunicação de maior apelo junto ao povo, como a televisão, as redes sociais e a Internet.

Com a democratização do acesso à Internet, é cada vez mais importante que aqueles que desejam concorrer a cargos políticos estejam atentos à sua presença digital, tomando cuidado para desenvolver uma comunicação eficiente e dirigida com seus eleitores.

O que achou de saber mais sobre a história da comunicação política? Entenda também a relação entre marketing pessoal e marketing político. Não perca!


Marketing digital para políticos

Deixe seu comentário
Comentários desabilitados.