Os santinhos políticos ainda são excelentes meios para divulgar determinado candidato. Afinal, eles conseguem atingir um grande número de pessoas, mesmo aquelas que não têm acesso à internet. No entanto, para que a estratégia dê certo, é preciso ter atenção.

Em primeiro lugar, é importante salientar que o design do santinho deve ser atrativo ao público-alvo do político. Além disso, a divulgação precisa ser feita com seriedade.

Esteja certo de que o candidatos que espalham panfletos em locais inapropriados (como em portas de escolas no dia da votação) tendem a passar uma imagem negativa ao público. Quer saber o que fazer (e o que não fazer) ao divulgar o seu santinho?

Então, confira este post e faça uma campanha de sucesso!

Esteja atento à legislação

Para evitar problemas com a Justiça Eleitoral, o primeiro passo é ficar atento à legislação. Infelizmente, ainda é comum vermos diversos santinhos espalhados pelo chão no dia da votação. No entanto, jogar panfletos em vias públicas é crime!

Além da ilegalidade, o hábito de sujar as ruas com os folhetos pode fazer com que as pessoas fiquem com uma imagem negativa do candidato. Portanto, se você deseja ganhar o pleito, treine os seus cabos eleitorais e respeite às normas vigentes.

A legislação prevê, entre outras coisas, que:

  • a distribuição pode ser feita até as 22 h do dia anterior à votação;
  • é proibido distribuir panfletos políticos em bens públicos (prefeitura, câmera etc.) ou em locais particulares de livre acesso (cinemas, clubes etc.);
  • todos os santinhos devem conter o CNPJ ou CPF do responsável pela confecção (que vai receber o pagamento) e de quem a contratou.

Escolha bem onde você vai panfletar

Um erro comum dos candidatos é realizar a panfletagem em qualquer lugar — sem nenhum tipo de planejamento. Ora, antes da campanha, você estuda as melhores estratégias a serem adotadas de acordo com o perfil do seu eleitor em potencial, certo?

Com a distribuição de santinhos, portanto, isso não seria diferente. Assim, antes de sair entregando os panfletos por aí, é essencial fazer um levantamento dos melhores locais e horários a serem explorados. Se o seu público é universitário, por exemplo, panfletar perto das faculdades (próximo aos períodos de entrada e saída) é uma boa alternativa.

Contrate pessoas de confiança

Infelizmente, muitas pessoas acabam descartando alguns santinhos — ou, então, colocando vários em uma mesma caixa de correio, por exemplo. As duas situações são prejudiciais. Afinal, um santinho jogado fora é um eleitor que não é atingido. Por outro lado, ninguém gosta de receber o mesmo material aos montes dentro de casa.

Para evitar casos como esses, contrate pessoas de confiança e faça treinamentos para ensinar boas práticas de distribuição. Apesar de ser uma alternativa mais cara, fechar parcerias com empresas especializadas em panfletagem também é uma opção segura.

Distribua você mesmo

Tirar uns dias para distribuir os seus próprios santinhos (sempre acompanhado de aliados, é claro) também é uma excelente estratégia. Esse é um bom momento para você se apresentar, estreitar os laços com o eleitor, e mostrar que é uma pessoa comum.

No entanto, pra evitar constrangimentos, jamais seja invasivo em sua abordagem e escolha bem o local de distribuição. Sempre prefira as regiões onde você tem aliados.

Seguindo essas dicas, o santinho pode ser um excelente meio de divulgação. Só não se esqueça de caprichar no design: ele deve ser bonito e atrativo para o seu público, ok?

Agora que você já sabe distribuir santinhos políticos corretamente, siga-nos em nossas redes sociais — FacebookTwitter e LinkedIn — e fique por dentro de outras dicas para vencer a eleição!


O-guia-básico-de-divulgação-para-candidatos-políticos-banner-horizontal (santinho político)

Deixe seu comentário
Comentários desabilitados.