O Instagram é uma das mídias sociais que mais crescem no mundo, com mais de 500 milhões de usuários ativos. Após a compra do aplicativo pelo Facebook em fevereiro deste ano, por US$ 1 bilhão, sua curva de crescimento se tornou ainda mais significativa.

Se levarmos em conta a crescente popularização dos smartphones (quase 42 milhões de unidades apenas no Brasil), fica claro o quão importante é ter uma estratégia de atuação bem estruturada nesse meio.

Melhores práticas:

Use o Instagram para registrar todos os momentos da campanha

O Instagram é um ótimo meio de compartilhar suas visitas durante a campanha. Além das imagens, também é legal você marcar o local em que cada foto foi tirada.

Tire selfies com eleitores e pessoas-chave

As chamadas “selfies”, aqueles autorretratos tirados com o smartphone, devem ser uma tendência para a campanha eleitoral. Se feitos de forma estratégica, passam uma imagem de proximidade e cumplicidade para o público.

Estimule o relacionamento

Também é possível gerar bons debates no Instagram, estimulando os comentários dos eleitores. Vale lembrar que a gestão desse relacionamento deve ser feita de maneira estratégica. No artigo “Como se relacionar com os eleitores nas mídias sociais” eu dou algumas dicas sobre isso.

Compartilhe no Facebook e no Twitter

É interessante você ativar o compartilhamento em outras redes sociais, mas com uma ressalva. Se o seu candidato publica muitas fotos no Instagram durante o dia, ative somente o compartilhamento no Twitter, já que esta é uma mídia mais imediatista. Selecione apenas algumas fotos para compartilhar no Facebook, cerca de duas ou três por dia.

O que medir:

Há algumas métricas relevantes que precisamos acompanhar no Instagram, já que servem de base para possíveis otimizações na estratégia do candidato.

  • Engajamento total: relação entre o número de curtidas e de comentários em todas as fotos;
  • Engajamento por foto: relação entre o número de curtidas e de comentários por foto;
  • Engajamento gerado fora do Instagram: interações geradas no Facebook e no Twitter (caso o candidato compartilhe a foto nessas redes);
  • Palavras-chave mais utilizadas nos comentários: esta é a melhor forma de analisar os temas que as pessoas estão citando nos comentários;
  • Usuários mais engajados: ranking dos eleitores que mais interagem com o candidato;
  • Melhores dias e horários 
  • Filtros que mais trouxeram engajamento

Gostou do conteúdo? Então assine nossa newsletter e fique sempre atualizado!


eBook Eleições e Mídias Sociais