O perfil dos eleitores brasileiros tem mudado significativamente nos últimos anos. A tecnologia já faz parte da vida cotidiana das pessoas, fato que tem obrigado os políticos a se adaptarem.

Mesmo com essas mudanças de paradigmas, grande parte dos políticos e candidatos ainda se surpreende com esse novo perfil do eleitorado.

Se você é um candidato, vereador, deputado, assessor ou trabalha em uma campanha, atente-se a esses nove fatos:

1) Os eleitores estão extremamente conectados

Eleitor conectado

Smartphones deixaram de ser peça de luxo ou coisa de gente tecnológica. Com a popularização dos novos aparelhos e aumento do poder de compra do povo brasileiro, esses celulares já atingem parcela esmagadora da sociedade.

2) Os eleitores não aguentam mais candidatos que só mostram a cara um mês antes da eleição

Gato escondido apenas observando

Afinal de contas, como construir uma relação de confiança com um candidato que só aparece em cima da hora?

3) Os eleitores viram evangelizadores de políticos que realmente acreditam

Eleitor falando

Se alguém acredita em determinado candidato, essa pessoa acaba divulgando o mesmo de forma gratuita. Veja um exemplo real.

4) Eles ajudariam (financeiramente) a campanha de um candidato que representasse seus ideais

Cofrinho

Pessoas que compartilham de uma mesma ideologia política e bem conquistadas podem se tornar apoiadoras fieis. A Máquina de Atração de Eleitores pode te ajudar nisso.

5) Os eleitores acham muito chato receber um SMS de um político que não conhecem

Eleitor enfurecido

O celular é uma extensão do nosso corpo, passamos a maior parte do tempo ao lado dele. Receber um SMS de um estranho pode ser realmente desagradável.

6) Eles também odeiam receber emails de estranhos

Pássaro bravo

Assim como no SMS, os candidatos também devem ter cautela nesse ponto. O email é uma ferramenta de comunicação incrível com pessoas que já conhecem o candidato. Mas, infelizmente, muitos políticos ainda utilizam bancos de dados comprados/doados. Além de ilegal (Lei nº 9.504/97, art. 57-E, § 1º), esse tipo de estratégia tem um impacto bem negativo no eleitor.

Para saber como atrair emails de forma legal e efetiva para o seu banco, clique aqui.

7) Os eleitores odeiam a cidade suja com tantos santinhos

Cidade suja com santinhos

Comuns nos últimos dias da campanha, os santinhos acabam sujando a cidade e tendo uma recepção negativa pela maior parte do eleitorado.

8) Eles odeiam “santinhos virtuais” nas suas redes sociais

Tecla de dislike

Uma prática comum adotada durante a campanha é a digitalização dos “santinhos”, já bem estabelecidos no mundo offline. Como resultado, vemos usuários incomodados com o turbilhão desse tipo de conteúdo em sua timeline e, consequentemente, cancelando assinaturas ou dando unfollows. Quem interage com este tipo de conteúdo são apenas militantes, profissionais da própria campanha ou usuários muito engajados.

9) Os eleitores gostam de ser tratados como protagonistas

eleitor protagonista

Uma boa campanha eleitoral ou mandato prezam pela segmentação, trata o eleitor individualmente: chama-o pelo nome, envia conteúdo específico e mostra que o político o conhece bem. Esse tipo de estratégia é possível com ferramentas como SGP, que são capazes de utilizar as informações contidas no banco de dados do político para fazer diferentes segmentações nos envios de emails e SMS.

Veja uma demonstração em vídeo do que o SGP (Suíte de Gerenciamento Político) pode fazer pela sua campanha.

 

Banner do eBook sobre campanha eleitoral