Para se preparar para uma campanha, os candidatos, assim como seus assessores, precisam focar em estratégias de marketing — conceito que abrange diversas áreas de conhecimento visando o correto posicionamento de um produto ao seu consumidor em potencial (nesse caso, os eleitores). Dentro desse contexto, é essencial entender as diferenças entre marketing político e eleitoral a fim de traçar as ações corretas.

As estratégias de cada um são bem parecidas, e conhecer esses conceitos é fundamental para o sucesso de uma campanha. Quer saber mais detalhes sobre o assunto? Então, continue conosco e saiba como ser um político de sucesso!

O que é marketing político?

O marketing político pode ser considerado a área dentro do marketing que visa o contexto político-eleitoral. A aplicação desse conceito tem como base o marketing tradicional.

O objetivo é analisar diversos dados para entender os anseios e necessidades do eleitorado. Desse modo, é possível focar e adequar o discurso do candidato, criando uma imagem que poderá ser usada em futuras disputas eleitorais, como também em situações em que é preciso o apoio popular para atingir determinado objetivo.

Essa estratégia é seguida a longo prazo, geralmente, antes mesmo da campanha ou ainda durante o mandato. É com o marketing político que se criam as relações com o eleitorado, com a construção de um banco de contatos e o fortalecimento da relação com o público.

O que é marketing eleitoral?

O marketing eleitoral deriva do marketing político. A principal diferença nessa modalidade é que as ações são programadas, tem data de início e fim, logo, é voltado ao pleito.

O conjunto de atividades visa garantir a maior adesão possível a uma ideia ou causa, tomando como base as análises feitas durante o processo de marketing político. Sendo assim, o marketing eleitoral vem com o objetivo bem definido, que geralmente é tornar o candidato atraente nas eleições.

Essa diferença entre o marketing político e eleitoral é o que dá sentido às estratégias a serem adotadas em cada situação. Enquanto um foca na consolidação da marca, seja pessoal ou de partidos e coligações (como é o caso do marketing político), no outro o foco é a meta de conversão, ou seja, a eleição.

Quais são as reais diferenças entre marketing político e eleitoral?

Bom, até aqui você entendeu que o marketing eleitoral não poderia sobreviver sem o político, certo? Afinal, é o segundo quem dá o norte para o primeiro definir estratégias e ações durante uma campanha. Mas, na prática, você sabe a diferença entre eles?

Para você entender essa questão, tenha em mente a principal reclamação dos eleitores: “ah, mas o candidato X só aparece em época de eleição e depois some”.

Certamente, você já ouviu alguém falar essa frase, certo? Provavelmente, o candidato em questão só investiu em marketing eleitoral, ou seja, definiu as suas estratégias a curto prazo com um único objetivo: ganhar a eleição.

O marketing político, por sua vez, tem o intuito de criar uma imagem forte do parlamentar perante o público-alvo. Para isso, é preciso criar e desenvolver ações permanentemente — e não só em época de campanha.

Um candidato que está seguindo estratégias de marketing político não vai pedir votos aos seus eleitores, mas sim aproximar-se deles. Há diversas formas de fazer isso, como mantendo uma presença constante na internet, participando de eventos, dialogando constantemente com os seus eleitores (mandando e-mailsSMS etc.), entre outras.

A estratégia é extremamente importante, principalmente para os políticos que estão tentando a reeleição. Afinal, os eleitores estão cansados dos chamados candidatos sazonais, ou seja, aqueles que só aparecem na época eleitoral e não dão mais notícias.

O marketing político, portanto, é uma espécie de alicerce do marketing eleitoral — que ocorre somente durante a campanha. Por exemplo, na primeira modalidade de marketing é preciso, dentre outras coisas, traçar o perfil do candidato. Após um estudo sobre o público-alvo, é fundamental escolher as vestimentas e o tom do discurso mais adequado.

Feito isso, o marketing eleitoral entra em ação. Conhecendo bem o perfil do eleitorado, será possível elaborar slogans, propagandas, textos, imagens, planos de governo, que são atrativos para o público. Lembre-se de que, aqui, o objetivo é ganhar a eleição.

Se você ainda tem dúvidas sobre os diferentes tipos de marketing, confira o nosso resumo:

Marketing político

  • tem o objetivo de construir uma imagem forte do político;
  • as estratégias são criadas e desenvolvidas a longo prazo;
  • é preciso entender qual é o perfil do público-alvo para bolar as ações.

São exemplos de estratégias adotadas dentro do conceito de marketing político:

  • presença constante na internet: o político mantém sites e perfis em redes sociais com o objetivo de dialogar constantemente com o público;
  • boa relação com os eleitores: quem está tentando a reeleição conserva uma boa relação com o público, recebendo-o no gabinete por exemplo;
  • criação do perfil do político: o discurso, a vestimenta, o plano de governo etc. devem estar de acordo com o perfil dos eleitores;
  • participação em eventos relacionados com o público-alvo: para ganhar a confiança dos eleitores, o parlamentar deve estar sempre por perto.

Marketing eleitoral

  • tem o objetivo de fazer determinado candidato ganhar a eleição;
  • as estratégias têm curto prazo;
  • cria ações de divulgação e comunicação durante o pleito eleitoral.

São exemplos de estratégias adotadas dentro do conceito de marketing político:

  • criação de slogans, propagandas eleitorais, plano de governo, panfletos, campanhas online, discursos, jingle etc. durante a campanha;
  • definição do tom do discurso, vestimenta e dos principais temas abordados pelo candidato naquele pleito (quem investe em marketing político já alinha essas estratégias antes da eleição);
  • pesquisas sobre os principais concorrentes;
  • análise sobre o quadro político atual de determinada cidade, estado ou país.

Quais são as melhores estratégias para o marketing político e eleitoral?

No tópico anterior, delimitamos algumas ações que podem ser implementadas no marketing político e eleitoral, agora explicaremos melhor as estratégias mais eficazes nesse sentido.

As diferenças entre ambas as vertentes do marketing fazem com que ele precise focar em diferentes aspectos. No caso do marketing político, que exige uma estratégia de longo prazo, a ideia é trabalhar para fortalecer a marca, ou seja, a imagem do político, o que faz com que ações voltadas para o branding sejam mais eficazes.

Por sua vez, o marketing eleitoral estará focado em práticas que visam a conversão dos eleitores, logo, as estratégias são pautadas em métricas. Isso quer dizer que mensurá-las se torna um processo mais fácil, o que é crucial no processo eleitoral, avaliando a eficácia das ações. Confira, a seguir, algumas dicas a serem aplicadas!

Invista em mídias sociais e Inbound Marketing

As mídias sociais se tornaram os principais canais de contato com o público de eleitores. Por isso, nada melhor do que investir em conteúdo adequado para que elas se tornem veículos da sua imagem enquanto político.

Esses canais oferecem oportunidade de trabalhar múltiplas especialidades. Vídeos, imagens, transmissões ao vivo e links para blogs podem ser colocados em prática, visando o fortalecimento da imagem do candidato, mas também a atualização dos eleitores em tempos de eleição.

Sobre o blog, vale a pena apostar em conteúdos ricos que abordem temas de interesse público, como questões sociais, ambientais e políticas. É aí que entra o conceito de Inbound Marketing, estratégia de marketing digital com a proposta de atrair os visitantes para as suas páginas na web (incluindo redes sociais), ao invés de ir em busca deles.

Ao utilizar o conteúdo como estratégia, o político tem mais chance de apresentar as suas propostas e, consequentemente, conquistar o eleitor, que se identificará com o conteúdo e terá embasamento maior para fazer a sua escolha.

Trabalhe o branding político

O branding é um importante instrumento para o fortalecimento da imagem de um candidato. É impossível agradar a todos os grupos de eleitores, logo, o político precisa conhecer exatamente quem vota nele e focar as ações nesse grupo.

Trabalhar a humanização da campanha e ter sinceridade ao transmitir a mensagem são primordiais. Se o político quer passar uma imagem de acessibilidade, por exemplo, ele precisa estar junto ao povo constantemente, escutando as suas demandas, trabalhando pelos direitos deles em seu mandato etc.

Participe de eventos

A participação de eventos fora do período eleitoral também é uma estratégia que fortalece o marketing político. Não só inaugurações de serviços públicos, mas também feiras e eventos promovidos pelas comunidades são ótimas oportunidades para fortalecer a imagem diante da população.

Isso porque esses acontecimentos são uma chance de se aproximar da população, entender mais sobre os problemas sociais e, consequentemente, trabalhar para solucioná-los.

Defina um discurso

Como dissemos, é impossível agradar a todos os públicos de eleitores. Por isso, uma estratégia eficaz para o marketing eleitoral é justamente definir o discurso que será repassado durante toda a campanha.

Além de slogans e uma campanha voltada para a especificidade do discurso, é importante lembrar que o político precisa se posicionar diante de questões em pauta na sociedade. Isso ajudará os grupos a criarem afinidade, devido à similaridade de pensamento, o que contribui na hora de conquistar votos.

Não se esqueça de que o posicionamento deve ser mantido durante toda a campanha. As mudanças criam dúvidas nos eleitores que podem deixar de dar o seu voto devido ao receio de que o candidato faça algo diferente do que foi prometido. A convicção e posicionamento claros são parte da imagem bem estabelecida.

Vale lembrar que, apesar de terem conceitos distintos, o marketing político e o eleitoral devem andar juntos. Somente dessa forma será possível construir uma carreira longa, duradoura e de sucesso.

Entendeu as diferenças entre marketing político e eleitoral? Quer conhecer outras dicas que vão fazer você se reeleger? Siga-nos nas redes sociais (FacebookGoogle+LinkedIn e Twitter) e fique por dentro das todas as novidades que farão você sair na frente de outros candidatos!


Banner do eBook sobre campanha eleitoral