Perder uma eleição nos ensina diversas lições. Sempre ficamos pensando o que fizemos de errado ou o que poderíamos ter feito de diferente. Faltaram visitas a potenciais eleitores? A equipe soube conversar com o público-alvo? As propostas eram atraentes? Agora é a hora de olhar para esses erros e tentar fazer diferente.

Listei aqui três coisas que você precisa fazer imediatamente:

1) Já comece a se preparar para a próxima campanha

A primeira coisa é pensar no planejamento da campanha com certa antecedência. A antecipação do trabalho permite a construção de uma imagem forte do futuro candidato, com uma maior credibilidade. Sendo assim, iniciar o projeto pelo menos dois anos antes torna-se perfeitamente viável e recomendado.

2) Atraia e fidelize potenciais eleitores

Uma das razões dessa antecipação estratégica é a construção de um banco de dados forte. Essa atração de emails e telefones pode ser feita de forma limpa, efetiva e funcional por meio do Inbound Marketing.

Conforme já explicamos no eBook “Inbound Marketing na Campanha Eleitoral”, esse novo marketing visa ganhar o interesse das pessoas ao invés de comprá-lo. Para isso, aposta na criação e divulgação de conteúdos ricos para um público-alvo específico. Portanto, ele funciona como um imã poderoso para potenciais leads e eleitores.

Por ser um trabalho de médio a longo prazo, faz muito mais sentido iniciar uma estratégia inbound com um bom tempo de antecedência. De forma resumida, o Inbound Marketing funciona da seguinte maneira:

funil de inbound marketing

No topo do funil estão todos os visitantes do site do candidato, que foram atraídos por algum conteúdo específico.

No meio do funil estão os leads, que são aquelas pessoas que disponibilizaram seus dados (nome e email, por exemplo), para ter acesso a algum conteúdo, como eBook ou webinar. Ao fazer esta troca com o candidato, o usuário se mostra favorável a um relacionamento mais efetivo, por email. Gatilhos possíveis: download de eBooks ou webinar sobre assuntos mais generalistas, como saúde ou educação.

No final do funil temos os potenciais eleitores, que são aquelas pessoas que demonstraram uma grande propensão de votar no candidato. Gatilhos possíveis para entrada nessa etapa: download de eBooks sobre as propostas do candidato, download de material de campanha etc.

Baixe o eBook: Inbound Marketing na Campanha Eleitoral

3) Centralize seu público em um software web

Nos dias de hoje, a tecnologia tem feito parte da nossa realidade. Quando falamos em pré-campanha, essa situação não poderia ser diferente. Um software 100% web como o SGP tem se mostrado cada vez mais necessário na centralização e gestão inteligente dos dados.

Após atrair potenciais eleitores com uma estratégia de Inbound Marketing, é essencial saber como gerir esses dados durante a pré-campanha. Essa estratégia costuma atrair muita gente para o banco de dados, portanto, é muito importante saber quem realmente faz parte do seu público-alvo.

A principal forma de filtrar seu público é por meio das listas de segmentação. Com essa funcionalidade, que está presente no SGP, você pode, por exemplo:

  • Saber quem são as pessoas que votariam em você
  • Saber quem você já visitou pessoalmente
  • Separar as pessoas por região, profissão e/ou outros grupos específicos
  • Fazer uma comunicação segmentada por email, SMS e cartas

Além de uma equipe capacitada e muito planejamento, sua pré-campanha precisa de um software capaz de gerir seus contatos, controlar suas visitas e fazer a comunicação com os seus eleitores de forma segmentada. O SGP pode te ajudar exatamente nisso. Clique aqui para conhecer.


Banner do eBook sobre campanha eleitoral